quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

pain without love

A dor mais avassaladora, a mais destruidora, mora dentro de mim.
Quando respirar é um sacrificio, quando andar é pesado, quando sorrir é forçado. Essa dor nao tem explicaçao, nao tem trasnferencia de exemplos, nem metaforas. Uma vez eu vi essa frase em um filme famoso, que eu acho propicia... "nao há nada mais valioso do que amar, e em troca, amado ser", infelizmente, eu amei sozinha, eu cuidei sozinha, me importei sozinha.
Amei-te com todo meu coraçao, apesar de todas as humilhaçoes, as ofensas, a falta de amor por mim e o descaso, eu me submetia a tudo, pois amava voce.
A dor de um coraçao que quebra, que machuca, é insuperavel, é intransferivel, o fato é que eu fico doente longe de você, mas voce fica feliz longe de mim, 1 ano e 3 meses ainda mora aqui na minha cabeça, mas pra voce foi tao facil esquecer, eu me pergunto que tipo de crapula voce é, que tipo de ser humano faz isso com outro sem nenhum respeito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário